0

Como conheci comecei a gostar da Rússia.

É difícil definir palavras para falar sobre a Rússia, ou melhor, torna-se quase impossível adjetivar este grande país continental que dar o ar da sua graça na Europa e descansa toda sua imensa beleza na Ásia. Conheci a Rússia quase que por acaso, quando em 2012 ao adicionar um contato de internet cometi um erro de digitação e sem querer acabei conhecendo o Ivan meu primeiro amigo russo que vivia na cidade de Smonlensk. Desde então passei a ter longas conversas com o Ivan e me encantei com o companheirismo russo, perdi então a visão de que os russos são sérios e são frios demais, um russo mantem a famosa “seriedade” até o primeiro contato, depois disso você se depara e pode desfrutar do sorriso mais sincero e leal que alguém pode encontrar.
Com o passar do tempo fui me interessando pelo idioma russo, conversava com meu amigo Ivan no básico do inglês e isso com ajuda de tradutor online. Certa vez em uma conferência com áudio eu, meu amigo e mais outros russos nos falamos, mesmo sem entender uma palavra sequer do um do outro, fiquei deslumbrado pela sonoridade do idioma russo. Depois desta conversa comecei a pesquisar e ao conversar com um amigo brasileiro sobre minha nova paixão pela língua russa acabei ganhando um curso apostilado de cirílico russo. Iniciei os estudos do alfabeto e fui aos poucos entendendo mais desta maravilhosa escrita, quanto mais eu procurava entender este idioma que não era comum para mim, mais eu me encantava.

            O fascínio em descobrir uma “terra” até então para mim desconhecida e começar a engatinhar no aprendizado deste novo idioma me fizeram ter contato com outros brasileiros que como eu partilhava deste mesmo sentimento de amor pela Rússia, e além dos brasileiros outros russos que também eram apaixonados por meu país passaram a ser contatos frequentes em minhas redes sociais. Conheci pessoas de várias partes da Rússia, Belgorod, kirov, Moscou, Sibéria, Smonlensk… E fui me afeiçoando tanto às pessoas quanto ao perfil russo de fazer amizades, peguei o gosto pela literatura russa ao iniciar a leitura do livro Recordações da casa dos mortos de Fiódor Dostoiévski e fui pouco a pouco absorvendo o que era bom da personalidade russa e aprendendo da sua cultura.

Passado certo tempo resolvi compartilhar em meu canal no youtube e no meu blog Coisas de aluno, tudo o que estava aprendendo sobre a cultura russa. Nesta época li um texto de uma russa chamada Sasha Yakloveva que tinha o título “51 diferenças entre o Brasil e a Rússia”, e com sua permissão fiz uma série de vários vídeos baseados no seu texto, e a aceitação por parte dos brasileiros que queriam conhecer a Rússia e de russos que ficaram alegres por verem sua cultura sendo valorizada por nós do Brasil foi tão grande que acabei criando a página Amigos da Rússia na qual a primeira formação contava com uma ótima equipe de brasileiros e uma russa. Ainda não tive a experiência de pisar em solo russo, por enquanto, mas posso dizer que conhecer este país proporcionou um sentimento impar em minha vida e que hoje em dia eu sou um amigo da Rússia e adotei em meu coração esta pátria que em seus mais diversos aspectos muito me encanta pelas suas mais diversas formas de beleza. E assim sigo esta jornada de conhecimento, viajando na trilha do conhecimento e compartilhando com o mundo que nós brasileiros somos amigos da Rússia.

 

Por: Caique Jr

Twitter: @amigosdarussia
Instagram: @amigosdarussia

Comente

comments

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *